Lula tem 48,4% no Estado do Amazonas contra 30,5% de Bolsonaro e 4,3% de Ciro Gomes

Pesquisa eleitoral do Instituto de Consultoria em Ensino e Pesquisas do Amazonas (Icepam), divulgada nesta sexta-feira (03.06.22), aponta que o ex-presidente Lula (PT) possui 48,4% das intenções de voto, o presidente Jair Bolsonaro (PL) ficou em segundo lugar com 30,5% das intenções de votos, Ciro Gomes (PDT) surge com 4,3% e Simone Tebete (PSDB) com 2,3%, entre os eleitores amazonenses.

Para o governo do Estado, o ex-governador Amazonino Mendes (Cidadania) aparece com 29,5% das intenções de voto, o governador Wilson Lima possui 26,1%, o senador Eduardo Braga (MDB) 17,3%; Ricardo Nicolau (Solidariedade) 4,9%; Carol Braz (PDT) com 3,4%; e Henrique Oliveira (Podemos) com 2,6% das intenções de voto.

A pesquisa foi realizada entre os dias 26 de maio e 1º de junho em Manaus e em sete municípios do Amazonas, sendo Itacoatiara, Manacapuru, Parintins, Coari, Tefé, Iranduba e Rio Preto da Eva. A margem de erro é de 2,23% com intervalo de confiança de 95%.

De acordo com o levantamento 10,9% não votaria em nenhum dos candidatos citados ou preferem votar nulo ou branco. Outros 5,3% não souberam responder.

Lula está 20,44% à frente de Bolsonaro em votos válidos no 2º turno.  Lula tem 60,22%, Bolsonaro 39,78%

Pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta sexta-feira (3.06.22.) mostra o ex-presidente Lula em condições de vencer no primeiro turno a eleição para presidente da República. Mas caso a decisão vá para o segundo turno, em cenário mais provável, Lula venceria por larga margem de 60,22% dos votos válidos contra 39,78% de Jair Bolsonaro. Nos votos totais seriam 53% para Lula, 35% para Bolsonaro e 12% de brancos, nulos, não votariam e indecisos.

No primeiro turno, Lula chegaria 11% à frente de Bolsonaro com 45% das intenções de votos, Bolsonaro 34%, Ciro com 9%, Simone Tebet (MDB), com 3%, André Janones (Avante), Vera Lúcia (PSTU) e Pablo Marçal (Pros) têm 1% das intenções de voto. Leonardo Péricles (UP) e Luciano Bivar (União Brasil) não pontuaram ― embora tenham sido citados, não chegaram a 1%.

Brancos, nulos ou que não votariam em nenhum dos candidatos somam 5%. Indecisos representam 2% dos entrevistados.

Foram ouvidas 1.000 pessoas por telefone entre 30 de maio e 1º de junho. A pesquisa, encomendada pela XP Investimentos, foi registrada na Justiça Eleitoral com o número BR-02893/2022. A margem de erro máximo estimada é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos, com um intervalo de confiança de 95,5%.

VERMELHOU: Lula vence com folga em 16 Estados e deve ser eleito no primeiro turno. Bolsonaro em 7. Empate em 3

A primeira análise do agregador de pesquisas do jornal O Estado de São Paulo (Estadão), divulgada na noite desta quinta-feira (2.06.22), mostra que a quatro meses da eleição o ex-presidente Lula registra grandes possibilidade de ser eleito presidente da República já no primeiro turno com 52% dos votos válidos. O petista vence com folga em 16 dos 26 Estados. Bolsonaro vence em 7 mais o distrito Federal e chega ao primeiro turno com 33% dos votos válidos. Há empate técnico em 3, São Paulo, Paraná e Rio Grande do Sul.

Lula, segundo a tabulação do Estadão vence em três dos quatro maiores colégios eleitorais, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Bahia. Empata em São Paulo, o maior colégio eleitoral. Mas várias pesquisas registram o petista à frente entre os paulistas, ainda que por pequena margem. No rio de Janeiro a virada em favor de Lula aconteceu nos últimos 15 dias.

Considerando os votos totais, Lula soma 47%, seguido por Bolsonaro, com 30%, Ciro Gomes 7%, Janones (Novo) e Tebet 2%.

O Média Estadão Dados é calculado sobre levantamento de 14 institutos de pesquisas como o Datafolha, Ipec, Quaest, Paraná Pesquisas entre outros e eleva em consideração o método utilizado por cada levantamento, tais como se realizado por telefone ou presencial e número de entrevistados, bem como momento em que é a realizado as entrevistas. acesse o conteúdo do Estadão sobre o agregador.

Caricatura de Bolsonaro feita por alemão recebe premiação internacional

Uma caricatura do presidente Jair Bolsonaro, do alemão Frank Hoppmann, publicado originalmente no jornal Paradox, de Israel foi uma das artes vencedoras da World Press Cartoon (WPC), nas categorias caricaturas, cartum e editorial e desenhos de humor.

O anúncio dos premiados aconteceu no último sábado (28.05.22), em Caldas da Rainha, Portugal.

Na caricatura, batizada de “Bolsonaro”, publicada em novembro do ano passado, o presidente aparece usando a faixa presidencial, rangendo os dentes e com rosto e olhos vermelhos. Hoppmann levou o segundo lugar na categoria e, com ele, um prêmio de 2.000 euros (cerca de R$ 10 mil).

Lula chama Bolsonaro de ‘praga de gafanhotos’ que destruiu o Brasil. “Este país tem que voltar à normalidade”

O ex-presidente Lula, em discurso nesta quinta-feira (02.05.22), em Porto Alegre (RS), durante encontro com artistas gaúchos, comparou o governo de Jair Bolsonaro a praga de gafanhotos que destruiu o Brasil.

“Este país tem que voltar à normalidade. Vamos recuperar este país, porque hoje temos não um presidente, mas uma praga de gafanhotos que tomou conta deste país, que destruiu a cultura, destruiu a educação, destruiu o emprego e destruiu a economia”, afirmou o petista.

Lula chegou ao Rio Grande do Sul nesta quarta-feira e hoje, no encontro com artista, voltou a afirma que caso seja eleito presidente da República voltará a criar o ministério da Cultura com unidades regionais para buscar dar mais evidências a artistas e artes de pouco espaço nos meios de comunicação. Também no encontro alfinetou Bolsonaro.

“Eu tenho saudade do tempo em que a polarização era entre Lula e o Alckmin, Dilma e Serra, Lula e Serra, porque era uma polarização civilizada. É como amigos que jogam bola. A gente dá botinada, pisa no pé, chuta a canela, mas a gente é civilizado e continua conversando, continua sendo amigo. É isso que é democracia, que esse fascista que chegou ao poder não exerce, não sabe fazer”, disse Lula.

Mais à frente, no discurso, Bolsonaro voltou a ser lembrado quando Lula defendia a produção cultural com recursos da Lei Rounet por estar supostamente “financiando promiscuidade” que deporia “contra a família”.

“De que família esse cara está falando? Qual é a experiência dele de família? Família de quem? Da nossa, não é. Eu não admito que um cidadão que coloca um filho para disputar uma eleição contra a mãe venha a falar de família pra mim neste país”, afirmou o petista.

Lula referiu-se às eleições municipais de 2000, quando, a pedido do presidente Jair Bolsonaro, seu filho Carlos Bolsonaro (Republicanos) disputou a eleição municipal do Rio de Janeiro, para evitar a reeleição da então vereadora Rogéria Bolsonaro, mãe de Carlos e ex-mulher de Jair. Rogéria também é mãe do senador Flávio Bolsonaro (PL) e do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PL) e está filiada ao PL.

Lula pode ter cerca de 3 milhões de votos a mais do que Bolsonaro em Minas Gerais

Nas contas do PT, baseado em pesquisas de intenções de votos, o ex-presidente Lula (PT) pode ter até três milhões de votos a mais do que o presidente Jair Bolsonaro (PL) em Minas Gerais. A conta foi feita por um dos coordenadores da campanha do petista em Minas, o deputado federal Reginaldo Lopes, em entrevista à Carta Capital.

No estado, de acordo com pesquisa Quaest divulgada em maio, Lula lidera a corrida eleitoral com 44% das intenções de voto. Bolsonaro aparece com 28%. No segundo turno, mostra o levantamento, o petista teria 54% contra 32% de Bolsonaro.

Reginaldo Lopes é o líder do PT na Câmara Federal e até o fechamento de acordo entre Lula e o ex-prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil, para as eleições de outubro, Lopes liderava a corrida pela cadeira do Senado Federal em Minas. Mas abdicou da disputa para facilitar o acordo Lula-Kalil.

Até 3 milhões sobre Bolsonaro

“Caminhamos para ter dois votos de cada três no estado”, afirmou Lopes na quarta-feira (1.06.22). “Acreditamos em uma vantagem de 2 milhões e 500 mil votos, podendo chegar a 3 milhões de votos a mais para Lula”.

“O melhor cabo eleitoral em Minas neste momento é o ex-presidente Lula. Seu apoio faz com que 30% dos eleitores mudem de voto. Bolsonaro pode promover a mudança de 18% dos eleitores”,  escreveu Felipe Nunes, cientista político e diretor da Quaest.

No estado, Bolsonaro ainda busca um palanque que lhe dê melhores condições para a reeleição. O presidente pode apoiar o senador Carlos Viana (PL) ou tentar um acordo com Zema. O atual governador, por ora, descarta a aproximação.

“Eles (os bolsonaristas) estão perdidos. O palanque do bolsonarismo não tem lugar aqui”, disse Lopes à reportagem. “E não é por falta de desejo do Bolsonaro, do Zema e do Carlos Viana e sim pelo fato do Lula ser o maior cabo eleitoral”.

Minas, que é o segundo maior colégio eleitoral do País, é vista como estratégica para a eleição nacional. Desde 1989, o presidente eleito é o que leva mais votos no estado.

Marina deve encontrar Lula e selar acordo no próximo domingo, Dia Mundial do Meio Ambiente

A ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (Rede Sustentabilidade) declarou nesta quarta-feira (01.06.22) que está aberta a conversar com o ex-presidente Lula (PT) referente às eleições. Marina, uma ex-petista, agora faz parte de um grupo cada vez menor de lideranças da Rede, que ainda não declararam apoio abertamente ao petista em relação à eleição para presidente da República. De dois senadores que a Rede possuía até 2021, um Fabiano Contarato (PT/ES) trocou a Rede pelo PT no início deste ano e o outro, Randolfe Rodrigues (Rede/AP), é um dos coordenadores da campanha de Lula.

Um grupo do PT, motivado pelo ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, tenta aproximar Marina e Lula novamente. Segundo a revista Veja, uma das iniciativas seria o encontro de ex-ministros do Meio Ambiente, no próximo domingo (5.06.22), que contará com a presença do pré-candidato do partido ao Palácio do Planalto para comemorar o Dia Mundial do Meio Ambiente. Marina deve concorrer para o cargo de deputada federal por São Paulo.

“Estou organizando meus compromissos, é uma questão de avaliar. Não tenho conhecimento da agenda e nem do que está sendo organizado, especificamente. Ninguém ainda conversou comigo a respeito, mas estou aberta, tem que conversar”, declarou Marina ao Radar, da Veja.

Em Porto Alegre, Lula diz que um país só é soberano quando seu povo tem direito a tomar café, almoçar e jantar

O ex-presidente Lula (PT) disse na noite desta quarta-feira (01.06.22), durante o evento “Ato pela soberania do Brasil”, em Porto Alegre (RS), que um país só é soberano quando seu povo tem direito a tomar café, almoçar em jantar. O petista desembarcou hoje na capital gaúcha, onde durante a tarde reuniu com lideranças da área de educação e à noite participou do evento sobre soberania.

“Estamos vendo o governo destruindo uma parte do patrimônio brasileiro construído no século passado e neste século. Um país pode ter toda a riqueza do mundo, mas se o povo não tem direito a tomar um café, almoçar e jantar, esse país não tem soberania. Se o povo não tiver empego e salário para sustentar a sua família, esse país não tem soberania”.

“Quando descobrimos o pré-sal, nós criamos a ideia que o pré-sal seria o nosso passaporte para o futuro. Mas as multinacionais do petróleo nunca aceitaram isso. E eles diziam vamos privatizar, porque se houver muitas empresas explorando o petróleo o combustível vai ficar mais barato. Pois bem, venderam a BR, quebraram a BR e hoje tem 392 empresas importando gasolina dos Estados Unidos e vendendo para nós a preço internacional e o argumento deles o qual é? É de que tem a guerra da Ucrânia e o petróleo está US$ 128, US$ 130 o barril”.

“Eu vou dizer para vocês. Não é a guerra da Ucrânia. Porque quando eu era presidente da República na crise de 2008 e o petróleo chegou a US$ 147 o barril e vocês compravam gasolina a R$ 2,60 o litro”.

“Como é possível, a gente virou autossuficiente em petróleo e a gente agora não pode agora sequer comprar um botijão de gás de 13 kg. Durante todo o nosso governo não houve aumento do gás de cozinha. Porque o gás na verdade é um elemento da cesta básica. A pessoa tem que ter dinheiro para comprar o alimento e dinheiro para comprar o gás para cozinhar o alimento. Como é que os caminhoneiros estão vivendo pagando o diese no preço que está? E ainda sendo assaltado nos pedágios nas estradas desse país”.

“E tudo isso por causa da guerra da Ucrânia? Eu vou dizer para vocês: é por falta de vergonha e compromisso pelas pessoas que governam esse país e de quem dirige a Petrobras”.

“Não adianta jogar a culpa para cima dos outros, como no caso da guerra da Ucrânia. Porque já tivemos a guerra do Iraque, já tivemos a guerra da Síria, a guerra do Líbano e aqui ninguém aumentava a preço dos combustíveis”.

“E muito cuidado porque estão querendo privatizar a Eletrobras e se privatizarem eles também vão tomar conta da água dos nossos rios e nunca mais poderemos fazer um programa como o “Luz para Todos”. Mas quem quiser comprar a Eletrobras, se preparem, porque vai ter que conversar conosco depois de outubro. Porque o seu Guedes está tentando vender os tapetes do Palácio do Planalto”, afirmou Lula.

Universidades

Durante o “Ato pela soberania do Brasil” o ex-governador gaúcho Tasso Genro (PT) falou sobre os legados dos governos petista, especialmente os investimento no Rio Grande do Sul.

“A pedido do presidente Lula eu fui a Garanhuns (PE) montar uma universidade. A pedido do presidente Lula eu fui à fronteira gaúcha (Uruguai e Argentina) do Rio Grande montar uma universidade, a Unipampa”.

“E o que nos deixou de legado o genocida? Milícias! Armas! Desrespeitos aos direitos humanos. Estupro na economia levando à miséria e ao desemprego milhares de trabalhadores, milhares de famílias. O que nos legou o genocida? A tragédia e o sofrimento. Mas se ele nos legou o sofrimento multiplicou as nossas esperanças. A vitória do presidente Lula representa o resgate da soberania, o resgate da democracia e a vitória da República”, afirmou Genro.

Indignação com osso e pés de galinha

O ex-governador do Paraná Roberto Requião (PT), que também acompanha Lula no Rio Grande do Sul, disse que estava em Porto Alegre e que se dispôs a ser novamente candidato ao governo do Paraná, devido a indignação com o sofrimento pelo qual o povo brasileiro está passando.

“Estou aqui pela indignação de ver mulheres cozinhando osso para comer. Estou aqui pela indignação de ver mulheres cozinhando pés de galinhas. Temos pela frente terra arrasada para reconstruir”, disse o agora petista.

Suor para eleger Lula

O ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSB), que deverá ser o candidato a vice-presidente na chapa de Lula, anunciou que não medirá esforços para eleger Lula.

“Eu vou trabalhar, eu vou suar para eleger Lula presidente. O Brasil precisa da volta do presidente Lula para recuperar a educação. Para salvar a saúde, o Brasil precisa de Lula. Para salvar o meio ambiente o Brasil precisa de Lula. Chegou o tempo da esperança, chegou o tempo de Lula presidente”, disse.

Rogério Fraveto impõe condenações a general, Alexandre Frota e Reale Jr. que o criticaram por mandar soltar Lula

A 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul (TJ-RS) condenou nesta terça-feira (17/5) o ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior a pagar uma indenização de R$ 10 mil ao desembargador do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) Rogério Fraveto.

A ação foi movida após declarações feitas pelo ex-ministro sobre a decisão do magistrado de conceder, em julho de 2018, durante plantão judiciário, Habeas Corpus com objetivo de soltar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que se encontrava preso na Superintendência da Polícia Federal de Curitiba (PR).

Na ocasião, Reale Júnior afirmou que o sobrenome do desembargador significava o diminutivo de favor em italiano, ou seja, “favorzinho”.

O julgamento em segunda instância ocorreu depois que a defesa do desembargador, feita pelo advogado Paulo Petri, sócio do PMR Advocacia, recorreu da decisão anterior do juiz Leandro Raul Klippel, da 12ª Vara Cível do Foro Central da Comarca de Porto Alegre, que havia negado o provimento a pedido de indenização.

Ao comentar a decisão proferida nesta terça, Petri disse que Reale Júnior extrapolou os limites da crítica e da liberdade de expressão. “Isso aconteceu neste caso e foi corajosamente reconhecido pelo TJ-RS. Defender a democracia e o Estado de Direito passa, como nesse caso, pela defesa das garantias constitucionais de cada pessoa no Brasil.”

Condenação de general e Alexandre Frota

Former Brazilian President Luiz Inacio Lula da Silva gestures as he leaves the Federal Police Headquarters, where he was serving a sentence for corruption and money laundering, in Curitiba, Parana State, Brazil, on November 8, 2019. – A judge in Brazil on Friday authorized the release of ex-president Luiz Inacio Lula da Silva, after a Supreme Court ruling paved the way for thousands of convicts to be freed. (Photo by HENRY MILLEO / AFP)

Devido ao abuso do direito à liberdade de expressão, o 5º Grupo do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul condenou o general da reserva Paulo Chagas a indenizar em R$ 25 mil o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, após ofendê-lo nas redes sociais. A decisão aconteceu em outubro.

Em 2018, durante plantão, o desembargador determinou a soltura do ex-presidente Lula, que à época estava preso em Curitiba. A medida mais tarde foi derrubada, mas não livrou o magistrado de críticas, como as de Chagas.

Em um blog pessoal, o general chamou Favreto de “petralha irresponsável” e “apaixonado pelo ladrão maior”, sugeriu que lhe fossem dados “croques” terapêuticos e ainda disse aos seus seguidores que seria fácil encontrá-lo para que fosse demonstrada, “com a veemência cabível, a nossa opinião sobre ele e sua irresponsabilidade”.

O desembargador acionou a Justiça contra o general. Chagas alegou que as publicações não seriam ilícitas. Segundo ele, a decisão judicial foi um importante fato político, e, à época dos fatos, o ambiente era de efervescência.

Em janeiro de 2021, a 16ª Vara Cível de Porto Alegre considerou que as manifestações extrapolaram a mera crítica e tiveram valor depreciativo. Por isso, o general foi condenado a pagar R$ 40 mil de indenização por danos morais.

O caso foi levado ao TJ-RS e em 14 de outubro, a 9ª e 10ª Câmaras Cíveis, formando o 5º Grupo. A maioria dos desembargadores seguiu a divergência inaugurada pela desembargadora Thais Coutinho de Oliveira, que votou por manter a condenação e apenas diminuir o valor da indenização.

No mesmo dia, Favreto já havia conseguido outra vitória em caso semelhante. O 5º Juizado Especial Cível de Porto Alegre condenou um advogado a indenizar o magistrado em R$ 2,5 mil, devido a ofensas relacionadas à mesma decisão judicial. No último mês, o deputado federal Alexandre Frota (PSDB-SP) também havia sido condenado a indenizar Favreto — em R$ 50 mil — após divulgar nas redes sociais o número de telefone do magistrado responsável pelo Habeas Corpus em favor de Lula.

Lula faz discurso duro contra Bolsonaro. “Ignorância gera “um Bolsonaro, não um estadista” e afirma o PSDB acabou

Durante evento de lançamento do livro “Querido Lula: Cartas a um Presidente na Prisão”, no teatro Tuca, da PUC (Pontifícia Universidade Católica), na noite desta terça-feira (31.06.22), em São Paulo, o ex-presidente Lula (PT) fez um dos discursos mais duros contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) desde o início de sua pré-campanha ao Palácio do Planalto. Durante o seu discurso disse que investir em educação é uma necessidade, porque a educação não gera estadistas, mas a ignorância gera “um Bolsonaro”.

“Colocar jovens para estudar não é uma opção. É uma necessidade. Nenhum país se desenvolveu sem educação. A ignorância não gera estadistas, gera um Bolsonaro”, pontuou.

O petista também ironizou as declarações de Bolsonaro sobre as eleições. “Não adianta o Bolsonaro dizer que vai dar golpe, que ‘Só Deus me tira daqui”. Como eu acredito que a voz do povo é a voz de Deus, a voz do povo vai tirar ele de lá”, afirmou.

“Estamos lutando contra gente muito ruim, contra os matadores da Marielle, os milicianos, as pessoas que não têm medo de matar inocente, de fazer com o Genival o que a Polícia Rodoviária fez em Sergipe”, afirmou o ex-presidente.

Lula falou sobre a economia, política externa e sobre o PSDB. “Vocês estão lembrados que uma vez um senador do PFL, o Jorge Bornhausen, que disse que era preciso acabar com ‘essa desgraça do PT’. O PFL acabou. Agora quem acabou foi o PSDB, e o PT continua forte.”

“Querido Lula”

O lançamento de livro “Querido Lula” foi organizado pela editora Boitempo e pela PUC, o livro reúne 46 das 25 mil cartas recebidas pelo Instituto Lula ao longo dos 580 dias de prisão de Lula na sede da Polícia Federal, em Curitiba.

Cerca de 40 pessoas ocuparam o palco, entre artistas políticos e ativistas, que leram as mensagens para um auditório lotado. Entre artistas, leram os relatos as atrizes Camila Pitanga, Denise Fraga e Cléo Pires. As cantoras Zélia Duncan, que também cantou “Juízo Final”, de Nelson Cavaquinho, Tulipa Ruiz, a ativista Preta Ferreira, a ex-presidente Dilma Rousseff (PT), Fernando Haddad (PT) e Janja, esposa o ex-presidente, que leu duas cartas que escreveu enquanto os dois ainda namoravam.

“Toda vez que eu recebi uma carta na prisão era uma injeção de ânimo, significava que meu sacrifício era válido. Essas cartas me davam certeza de que eu estava do lado certo da história e que o que eu dizia era verdade”.

“Nunca imaginei que eu fosse chegar na Polícia Federal e encontrar centenas de pessoas na porta me aguardando. Nunca conheci um povo tão resiliente. Pessoas gritando, por 580 dias, bom dia, boa tarde, boa noite para um preso. Não acreditava que pudesse ser verdade”.

“Me prenderam achando que a gente ia ficar mais fraco e a verdade é que vocês fizeram eu sair da cadeia muito mais forte do que eu entrei. Eles achavam que iam nos tirar, que iam banir o PT”, disse Lula.