Lula impõe 19% em cima de Bolsonaro no 2º turno, indica Ipespe. Lula 53% e Bolsonaro 34%. No 1º Lula 44% a 32%

Pesquisa Ipespe contratada pela XP Investimentos divulgada nesta sexta-feira (20.05.22) aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à frente na corrida presidencial, com 19% em cima de Bolsonaro no 2º turno, Lula aparece com 53% e Bolsonaro 34%. No 1º turno Lula lidera com 44% contra 32% de Jair Bolsonaro.

No primeiro turno, além de Lula com 44% das intenções de voto na pesquisa estimulada e o presidente Jair Bolsonaro (PL), em segundo, com 32%, Gomes (PDT) também ficou com 8% das intenções de voto. O ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) oscilou dentro da margem de erros, positivamente de 3% para 4%. O deputado federal André Janones (Avante) registrou os mesmos 2% do levantamento anterior, enquanto a senadora Simone Tebet (MDB) oscilou positivamente de 1% para 2%.

Para a pesquisa, o instituto entrou em contato por telefone com 1.000 entrevistados, de 16 anos ou mais, entre os dias 16 e 18 de maio. O nível de confiança é de 95,5%. A sondagem foi registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o número BR-08011/2022.

Após Lua de Mel, Lula recebe princesa da Bélgica e viaja para Rio Grande do Sul e Santa Catarina

Após a Lua de Mel, o ex-presidente Lula (PT) receberá na próxima semana, em São Paulo, a princesa Marie-Esméralda Léopoldine, integrante da família real da Bélgica. Segundo auxiliares do petista, a pauta da conversa entre os dois deve girar principalmente em torno de meio ambiente e causas sociais, temas em que a princesa belga costuma atuar. Nesta quarta-feira (18.05.22) o petista e a socióloga Rosângela Silva, a Janja, se casaram e passam a Lua de Mel em um hotel de São Paulo.

Já Marie está no Brasil desde a semana passada. Na sexta-feira (13.05.22),  participou em Manaus (AM) da inauguração  da exposição “Respeitai a natureza, respeitai os povos: Diários de viagem – Fotografias do Rei Leopoldo III (pai de Marie), Brasil 1962-1964”, no Centro Cultural Palácio da Justiça. A mostra é uma realização da Embaixada da Bélgica em parceria com o Governo do Estado do Amazonas.

A exposição conta com parte do acervo de fotografias do rei Leopoldo III em suas quatro últimas viagens, entre elas uma passagem pela Amazônia. O objetivo é mostrar o olhar de um fotógrafo inspirado pela natureza, com interesse pela paisagem e pelo povo brasileiro.

“É uma grande emoção ver as fotos do meu pai, que eu conheço muito bem, expostas aqui. Ele tinha um grande carinho pela Amazônia, muita admiração pelo povo indígena”, afirmou a princesa da Bélgica.

O encontro entre Lula e Merie deve acontecer nesta segunda-feira (23.05.22) em São Paulo.

Lula no Sul

No dia 1º de junho Lula estará no Rio Grande do Sul, onde terá reuniões políticas e eventos da pré-campanha. Por lá o PT ainda busca compor o palanque estadual que servirá a Lula. Pesquisas internas do PT mostram o ex-presidente petista à frente de Bolsonaro. Mas a disputa pelo governo do Estado e Senado ainda está embolada.

O nome do PT é o deputado estadual Edegar Pretto, que até o momento, tem apoio formal do PCdoB e do PV, legendas que formaram federação com o PT no plano nacional. O petista, no entanto, teme o desfalque do PSOL, partido que também está coligado com o PT no âmbito nacional, mas que no Rio Grande do Sul ensaia lançar a candidatura de Pedro Ruas, brizolista de primeira hora e um dos fundadores do PTB e do PDT.

Segundo um dos coordenadores da campanha de Lula, a viagem começará no Rio Grande do Sul e incluirá Santa Catarina. A previsão é de que Lula e Alckmin fiquem um dia e meio em cada estado.

Lula pediu à organização do PT no RS a realização de um grande ato político no centro de Porto Alegre. O evento está programado para ocorrer na Rua da Praia, uma das mais antigas e tradicionais da capital gaúcha.

Outra agenda também pedida pelo petista deverá ocorrer em Novo Hamburgo, na região do Vale do Rio dos Sinos, a 44 km de Porto Alegre. A região é a mais populosa do estado, e conhecida por ser um forte polo calçadista.

Lula também pediu reunião com responsáveis por cooperativas no Rio Grande do Sul, incluindo empresários de ramo de laticínios, e com movimentos do campo, ligados à Fetraf, ao Movimento de Pequenos Agricultores e ao Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), base política de Edegar Pretto.

Na Bahia Lula tem 69% no segundo turno Bolsonaro 20%. Em votos válidos 77,5% contra 22,5%. No 1º turno 63% a 17%

Pesquisa Genial/Quaest divulgada nesta quarta-feira (18.05.22) aponta o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança para a Presidência entre eleitores da Bahia. No segundo turno Lula aparece com 69% Bolsonaro (PL) 20%. Branco/nulo/não pretende votar: 9% Indecisos: 2%. Em votos válidos, segundo o levantamento, o petista teria 77,5% contra 22,5% de Jair Bolsonaro.

No primeiro turno, Lula tem 63% das intenções de voto na pesquisa estimulada —quando os nomes são apresentados ao entrevistado. O presidente Jair Bolsonaro (PL) fica em segundo, com 17%. Na sequência, aparece o ex-ministro Ciro Gomes (PDT), com 5%; o ex-governador de São Paulo João Doria (PSDB) e o deputado federal André Janones (Avante), com 2% cada; e a senadora Simone Tebet (MDB), com 1%. Como a margem de erro do levantamento é de 2,9 pontos percentuais para mais ou para menos, esses quatro pré-candidatos empatam tecnicamente.

A pesquisa ouviu 1.140 pessoas que residem na Bahia, face a face, entre os dias 13 e 16 de maio.

Lula ganha palanque de Kalil em Minas e isola Bolsonaro. PT abriu mão da candidatura ao senado

O acordo entre PT e PSD em Minas Gerais já foi feito. O PT abriu mão da candidatura do deputado federal Reginaldo Lopes ao Senado e apoiará o senador Alexandre Silveira (PSD) à reeleição. Em troca, o PT indicará Reginaldo Lopes a vice de Alexandre Kalil (PSD), ex-prefeito de Belo Horizonte, candidato ao governo do Estado. Kalil enfrentará Romeu Zema (NOVO), candidato à reeleição. Com o acordo, que ainda não foi divulgado oficialmente, Lula isola Bolsonaro, que desejava Alexandre Silveira e o PSD mineiro ao seu lado e fortalece Kalil contra Zema, um simpatizante de Bolsonaro.

“Conversa hoje com Lula e com o companheiro Reginaldo Lopes, q vai construir a construção do palanque Lula-Kalil e coordenar a campanha de Lula e Alckmin no Estado. Juntos para vencer em Minas e no Brasil”, postou nesta segunda-feira (16.05.22) a presidente nacional do PT, Gleisi Haffmann.

“Notícia importante Lula/Kalil para derrotar Bolsonaro e Zema. Agora é definir o acordo programático: empresas públicas e não privatização, defesa do meio ambiente contra mineradoras, valorização serviço público com piso educação e SUS, agricultura familiar, direitos humanos…”, comemorou o deputado federal Rogério Correia (PT/MG).

Pelo acordo, Reginaldo será o vice de Kalil

No entanto, segundo o Blog do jornalista Noblat, o entendimento da aliança em Minas foi fechada em reunião no fim de semana, em São Paulo, entre Kalil, Lula e Gilberto Kassab, presidente do PSD. Lopes, que liderava as pesquisas para senador, conformou-se.

Em Minas Gerais, o segundo maior colégio eleitoral brasileiro, Lula derrota Bolsonaro com folgas. Mas mesmo assim o PT chegou ao entendimento de abrir mão da disputa pelo Senado, apesar de Reginaldo Lopes liderar as pesquisa de intenções de votos para o Senado. Já Kalil, de acordo com as últimas pesquisa, só aparece na frente de Zema quando colado a Lula

DESILUDIDOS: 18% abandonam Bolsonaro para ficar com Lula. 39% já deixaram o ex-capitão indica PoderData

Pesquisa PoderData, divulgada nesta segunda-feira (16.05.22), mostra que o presidente Jair Bolsonaro (PL) perdeu 39% dos seus eleitores desde o segundo turno de 2018 e o ex-presidente Lula (PT) é o maior beneficiado dos eleitores arrependidos pelo voto em Bolsonaro. Dos 39% que Bolsonaro perdeu, a metade 18%, vão votar em Lula

O resultado coloca Lula na frente dos demais candidatos também neste quesito, já que Ciro Gomes (PDT) recebe 4% dos eleitores bolsonaristas arrependidos, mesmo percentual de João Doria (PSDB). Simone Tebet (MDB) e André Janones (Avante) têm 2% cada.

A pesquisa desta segunda-feira também mostra o petista em vantagem entre os eleitores que dizem ter anulado ou votado em branco naquele segundo turno. Neste caso, 34% indicam preferência por Lula na disputa deste ano. Já 27% dizem votar em Ciro e 14% pretendem migrar para Bolsonaro. Na pesquisa a PoderData ouviu 3 mil eleitores brasileiros por telefone. A pesquisa foi realizada entre os dias 8 e 10 de maio, tem 2 pontos percentuais de margem de erro e o nível de confiança de 95%.

Em Minas Gerais, Lula lidera com 41,6% contra 33,8% de Bolsonaro, aponta Paraná Pesquisa

Pesquisa realizada pelo instituto Paraná Pesquisas, com eleitores de Minas Gerais, entre os dias 8 a 13 de maio e divulgada nesta sexta-feira (14.05.22) mostra o ex-presidente Lula (PT) lidera a corrida presidencial no Estado com 41,6% das intenções de voto, contra 33,8% do presidente Jair Bolsonaro (PL).

Ciro Gomes (PDT) está na terceira colocação, com 6,2%, seguido de André Janones (Avante), com 2%, e João Doria (PSDB), com 1,3%. Eymael (PDC) tem 1%, Luciano Bivar (União Brasil), 0,6%; Pablo Marçal (PROS), 0,5%; Luiz Felipe D’Ávila (Novo), 0,4%; Simone Tebet (MDB), 0,4%; e Vera Lúcia (PSTU), 0,1%. Nulos e brancos somam 7,7%, enquanto 4,5% não sabem ou não quiseram responder. 

O levantamento foi feito por meio de entrevistas pessoais com eleitores com 16 anos ou mais em 78 municípios, entre os dias 8 a 13 de maio. A margem de erro é de 2,4%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o n.º BR – 09255/2022.

2º TURNO JÁ COMEÇOU: Caetano Veloso declara voto em Lula e bomba na internet. Em 2018 Caetano apoiou Ciro

Preocupados com a necessidade de eleger o ex-presidente Lula (PT) ainda no primeiro turno, artistas e políticos deixam seus tradicionais aliados de pleitos anteriores para fortalecer a campanha do petista. É o caso do ex-senador Aloysio Nunes (PSDB) que declarou voto a Lula nesta sexta-feira, apesar de seu partido possuir candidato à Presidência e do cantor e compositor baiano Caetano Veloso, que no primeiro turno da eleição de 2018 apoiou Ciro Gomes (PDT). “O segundo turno já começou”, disse Nunes.

À noite foi a vez de Caetano encontrar Lula para declarar seu voto no petista.

“Boa conversa com,@PaulaLavigne e @randolfeap sobre cultura, meio ambiente e o Brasil mais feliz que queremos. #VamosJuntosPeloBrasil”, postou Lula em suas redes sociais.

Em 9 de março, um grupo de artistas liderado por Caetano foi ao Congresso para o “Ato pela Terra”. Eles afirmam que o Brasil vive hoje o “momento mais grave da agenda socioambiental desde a redemocratização”.

“Juntos por um Brasil Feliz de Novo!! Caetano teve um encontro com presidente @LulaOficial ,para manifestar seu apoio à candidatura do ex-presidente. O encontro aconteceu hoje a noite em São Paulo! Caetano Veloso!!! Ex-eleitor de Ciro!”, postou a internalta

@EstherThedoro

Caetano e Lula com senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP)

“O 2º turno já começou”: Ex-prefeito de Belo Horizonte do PSD e ex-ministro do PSDB declaram voto em Lula.

Na sexta-feira 13 o ex-presidente Lula (PT) recebeu duas importantes declarações de votos, uma do ex-prefeito de Belo Horizonte (MG), Alexandre Kalil (PSD) e outra do ex-chanceler brasileiro e ex-senador Aloysio Nunes (PSDB). Em ambas  declarações, se pode concluir que Lula trilha no caminho certo de atração de democratas à sua candidatura, cuja disputa se configura, segundo Nunes, como a escolha “entre a civilização (Lula) e a barbárie (Bolsonaro)”.

“Não há hesitação possível. Vou apoiá-lo no primeiro turno”, afirmou Nunes, apesar de seu partido possuir o ex-governador de São Paulo João Doria como candidato a presidente de República. “O segundo turno já começou”, complementou o ex-ministro reforçando a necessidade de não deixar dispersos os votos contra Bolsonaro e os motivos que o levam a não apoiar Doria.

Para ele, trata-se de uma escolha ainda no primeiro turno “entre a civilização e a barbárie”. “Só há duas vias abertas hoje, a via da manutenção do Bolsonaro ou a derrota dele. E quem tem condição de derrotá-lo é o Lula. Não há hesitação possível. Vou apoiá-lo no primeiro turno”, diz o ex-ministro.

Cantor Caetano Veloso é outro famoso que aposta que 2º turno já começou e deve declarar apoio a Lula nos próximos dias. À direita Aloysio Nunes – tucano de raiz

Sobre a pré-candidatura de João Doria, Nunes explicou que o ex-governador de São Paulo “não tem apoio consistente dentro do próprio PSDB”. “Existe uma rejeição muito forte a ele, que acho até injusta do ponto de vista administrativo, porque ele fez um bom governo, e político, pois Doria foi um dos pouquíssimos tucanos que enfrentaram, de fato, Bolsonaro”, afirmou.

Terceira via não existe

O fator determinante para o apoio de Nunes a Lula já no primeiro foi o fato de nenhum nome da chamada terceira via ter se mostrado competitivo até o momento. “É a quarta vez que o Ciro Gomes vai se candidatar. Ele não tem mais coelho da cartola para tirar. Os dois polos já estão dados. Estamos diante da escolha entre a civilização e a barbárie”, ponderou.

“Meu voto é do presidente Lula”

PT quer Reginaldo Lopes senador

Já o ex-prefeito de Belo Horizonte e pré-candidato ao governo de Minas Gerais Alexandre Kalil (PSD) disse, nesta sexta-feira (13.05.22), durante visita a Juiz de Fora, Zona da Mata mineira, que vai votar no ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O PSD e o PT vivem um impasse na definição de um palanque único no estado. 

Kalil afirma que ele e Lula “pensam mais ou menos da mesma forma”. “O PSD é um grande partido e o PT é um grande partido. Estamos com problemas, mas, com conversa, iremos acertar”, contou.

Neste momento, o desafio tanto do ex-presidente Lula em Minas Gerais, quanto de Kalil é conciliar os interesses do PT e do PSD, no que diz respeito ao candidato ao Senado Federal. Lula busca garantir o espaço na chapa com o ex-prefeito Kalil e ter um bom palanque em Minas. Kalil precisa de Lula para derrotar o atual governador Romeu Zema. Nas pesquisas mais recentes, quando Kalil aparece como o candidato de Lula chega a ter chances de derrotar Zema. Mas quando fica sozinho quem vence é o atual governador.

Tanto Lula quanto Kalil tem interesse em fechar o acordo que seria excelente para os dois no que se refere à disputa pela Presidência e pelo governo minérios. No entanto, o PT possui o deputado federal Reginaldo Lopes que vem liderando a corrida pelo Senado.  A resistência do PSD envolve a reeleição do senador Alexandre Silveira (PSD).

“Eu já disse antes. Independentemente de aliança, do que eu pense ou não pense. Se for feita ou não for feita a aliança. Eu tenho um jeito de pensar, o que é o governo e o que é governar. E eu não posso aqui dizer, porque não vai dar certo ou vai dar certo… eu mentir e dizer aqui que ele não é bom candidato. Ele (Lula) é o melhor candidato à Presidência da República. Infelizmente, se não der, não deu ( aliança). Mas meu voto é do presidente Lula”, disse.

“É legítimo o PT querer o candidato? Absolutamente. É legítimo o PSD querer manter a cadeira que sempre foi dele? É legítimo”, disse. “Estamos com um problema onde tudo é legítimo… temos um impasse onde temos que conversar”, afirmou.

Sobre a relação com Lula, Kalil disse que “a melhor coisa” que ele fez durante os últimos cinco anos foi a aproximação com Lula. “Presidente Lula tem um bom papo. Eu estou falando como Alexandre Kalil, não como político. É um cara absolutamente agradável. Gentil, cortez”, afirmou. “Mesmo se der tudo errado… se teve uma coisa legal foi sentar com Lula”, concluiu.

Ipespe: Com 60,7%, Lula abre 21,4% sobre Bolsonaro com 39,3% dos votos válidos no 2º turno. No 1º Lula 44% a 32%

Pesquisa Ipespe/XP Inc. divulgada nesta sexta-feira (13.05.22) confirma o resultado do levantamento Genial Quaest, divulgada nesta quinta-feira. Nos dois levantamentos o ex-presidente Lula (PT) aparece com larga vantagem sobre o presidente Jair Bolsonaro (PL) na disputa pela Presidência da República e com possibilidades de ser eleito ainda no primeiro turno, no dia 2 de outubro. Na pesquisa Ipespe/XP, divulgada hoje, em eventual segundo turno, o petista marca 54% (60,7%) dos votos válidos contra 35% (39,3%) dos votos válidos de Jair Bolsonaro.

No cenário estimulado para o primeiro turno (quando o eleitor escolhe seu candidato entre opções apresentadas pelo pesquisador), as intenções de voto em Lula ficaram em 44%, Bolsonaro 32% Ciro Gomes (8%), João Doria (3%), André Janones (2%) e Simone Tebet (1%). Os demais não pontuaram. Ao todo, 7% dos entrevistados disseram que não votariam em nenhum dos candidatos ou não iriam votar ou votariam em branco ou nulo. Outros 3% não souberam ou não responderam.

Foram realizadas 1.000 entrevistas de abrangência nacional, nos dias 9, 10 e 11 de maio. A pesquisa está registrada no TSE sob o número BR-02603/2022. A margem de erro é de 3,2 pontos percentuais para mais ou para menos. O índice de confiança é de 95,5% (o que significa que se a pesquisa fosse realizada 100 vezes, em 95 delas o resultado ficaria dentro da margem de erro).

Como Juscelino Kubitscheck, Lula quer fazer o Brasil crescer 40 anos em 4 anos, com trabalho e industrialização

Durante discurso na cidade mineira de Juiz de Fora, nesta quarta-feira (11.05.22), o ex-presidente Lula (PT) afirmou que, caso eleito presidente da República, vai trabalhar com objetivo de fazer o Brasil crescer em quatro anos o que cresceria em 40 anos. O petista também afirmou que trabalhará para fortalecimento da educação e o fim de precarização do trabalho com objetivo de que o empresariado volte a assinar carteiras de trabalho e também fortalecer o setor industrial brasileiro. Em território mineiro, Lula levou a plateia ao delírio devido ao projeto ser similar ao do ex-presidente mineiro Juscelino Kubitscheck, cujo tema era fazer 50 anos em cinco.  

A Volkswagen chegou ao Brasil durante do governo de Juscelino Kubitscheck

“O salário do povo está proporcionalmente menor. Ninguém consegue encher o tanque. Tiramos produtos do carrinho porque não dá pra pagar. Metade da inflação é por preços controlados pelo governo. O presidente é um fanfarrão. Não dá entrevista, fala só em lives para o público dele”.

“Nosso povo vai voltar a trabalhar, voltar a ter carteira de trabalho assinada. Se quiser ser empreendedor, vai ganhar para montar seu negócio. Esse país não quer eternizar empregos de aplicativos que as pessoas não conhecem o patrão, não tem direito às férias”, disse.

Povo vai dar golpe em Bolsonaro

No encontro, Lula aumentou o tom e alfinetou o presidente Jair Bolsonaro. “Bolsonaro fala em golpe todo o dia. A imprensa fala em golpe. E ele vai ver o golpe que ele vai sofrer no dia 2 de outubro. O povo vai dar um golpe no autoritarismo dele e vai reestabelecer a democracia nesse país. Vai ser o primeiro golpe democrático e popular. Golpe sem fuzil, sem metralhadora. É um golpe da eleição democrática”.  

“Ele está dizendo que a urna vai praticar roubo. Sabe por que eu confio na urna? Porque se pudesse roubar na urna eletrônica, o torneiro mecânico não teria sido presidente da República duas vezes”, afirmou.